Web Radio Jesus Cristo Gospel: Crise financeira do estado do Rio

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Crise financeira do estado do Rio

Crise financeira do estado do Rio tem reflexos graves na rede de saúde

Arrecadação do estado enfrenta a pior crise dos últimos dez anos. Governo diz que a saúde é prioridade e que tá buscando ajuda pra resolver problema.

Rio de Janeiro está passando por uma crise financeira com reflexos graves no sistema público de saúde. São muitos os cidadãos que buscam atendimento em hospitais estaduais e não conseguem passar da porta.
“Já rodamos tudo, fomos aí, ele está passando mal, tendo um troço”, comenta o filho de um paciente.
“Não to conseguindo mexer. Qualquer coisa dói”, reclama outro homem.
São cenas como essas que a equipe do Jornal Nacional registrou nos últimos dias na porta do Hospital Estadual Albert Schweitzer, na Zona Oeste do Rio.
Funcionários com salários e décimo terceiro atrasados, falta de remédios e de condições de atendimento.
Portas fechadas também na maior emergência de Duque de Caixas, na Baixada Fluminense.
  
“Fui atropelada, a kombi me bateu, to com dor de cabeça, já tive vômito. Minha pressão tá 19 por 12. Eles falaram que não vão me atender. Eu estou quase caindo, passando muito mal”, diz a técnica em enfermagem Rosane Barbosa Lima.
Na Penha, zona norte do Rio, o Hospital Getúlio Vargas está com tapumes nas portas. Agora, apenas pacientes com risco de morte estão sendo atendidos.
Dona Vilma chegou com uma fratura no pé e muita dor. Não conseguiu ser atendida.
“É uma tristeza, sabe. Porque a gente pagou a vida inteira pra na hora que a gente precisar escutar uma coisa dessa”, lamentou.
O dinheiro também não está chegando ao único hospital estadual do Rio que faz transplantes em adultos. A direção do Hospital São Francisco da Providência de Deus avisou aos pacientes que esperam pra fazer cirurgia, que os transplantes estão suspensos por atraso no pagamento aos médicos, aos funcionários e aos fornecedores e até por falta de medicamentos.
Um drama para Paulo Sérgio, 34 anos e há quatro na fila de transplante de rim.
“Tem a felicidade de estar na fila do transplante e receber uma notícia dessa é muito triste”, lamenta.
O Cremerj diz que até agora pelo menos 24 unidades da rede estadual estão sendo afetadas pela falta de repasses.
A arrecadação do estado enfrenta a pior crise dos últimos dez anos. O déficit chega a R$ 2,5 bilhões. O governo atribui a queda o ICMS, crise da Petrobras e redução do valor do barril do petróleo.
O governador diz que está buscando ajuda pra resolver o problema da saúde.
“Pra regularizar é muita coisa, tem muito repassa do governo federal pra fazer. Cerca de R$ 1 bilhão mais ou menos, R$ 850. Se eu conseguir uns R$ 250, R$ 300 milhões eles fazem essa travessia até meados de janeiro. Eu acho que eu consigo”, diz o governador do Rio de Janeiro,Luiz Fernando Pezão.
O Ministério Público montou um gabinete de crise com a Defensoria Pública do Estado e o sindicato dos médicos pra cobrar soluções das autoridades.
“A gente só ouve que não tem mais recursos, que a crise é financeira, mas a gente precisa que apresentem um plano eficiente de contingência”, afirma a promotora de Justiça Denise Vidal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário