Web Radio Jesus Cristo Gospel: Alternativa para a gravidez pós-câncer pode estar em hormônio masculino

quarta-feira, 23 de março de 2016

Alternativa para a gravidez pós-câncer pode estar em hormônio masculino

Arte/CB/D. A Press


Belo Horizonte — O cultivo in vitro (em ambiente controlado) de folículos ovarianos ainda em estágio inicial pode auxiliar pacientes com câncer a engravidarem depois de se curarem da doença. A técnica é proposta pela cientista brasileira Jhenifer Kliemchen Rodrigues, que trabalha na pesquisa há 18 meses nos laboratórios do Oregon National Primate Research Center e do Oregon Health and Science University, ambos em Beaverton, nos Estados Unidos.

Ela usou material ovariano fresco de 14 macacas adultas coletado na fase inicial do amadurecimento e analisou o desenvolvimento dos folículos, cultivados em incubadora a 37ºC e em diferentes experimentos, por cerca de cinco semanas. Ao fim, observou que, na presença de hormônios masculinos (androgênios), os folículos recuperaram a sobrevida, o crescimento, a formação do antro (característica de maturação) e a produção hormonal.

A técnica tem potencial para se tornar uma alternativa a crianças e mulheres que precisam se submeter a tratamento contra o câncer. O meio mais comum de preservação da fertilidade feminina atual usa oócitos (óvulos) maduros obtidos depois da estimulação ovariana artificial.

O procedimento, porém, não garante maternidade para meninas que não entraram na puberdade, pois elas não podem ser estimuladas artificialmente. Adultas que correm riscos de retorno do câncer também ficam impedidas de recorrer à criopreservação (congelamento) de tecido ovariano e posterior reimplante por risco de metástase, explica Rodrigues.

Os experimentos da cientista, que está à frente da Rede Brasileira de Oncofertilidade — composta por oito grupos assistenciais e/ou de pesquisa no Brasil —, ajudam a esclarecer um paradigma da ciência atual, comprovando que os androgênios apresentam ações benéficas no amadurecimento e no crescimento, além de importante papel no desenvolvimento inicial folicular. Com a maturação folicular realizada em laboratório, espera-se que a técnica beneficie esse perfil de paciente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário