Web Radio Jesus Cristo Gospel: Espera por vacina contra H1N1 chega a até quatro horas em clínica particular

quarta-feira, 30 de março de 2016

Espera por vacina contra H1N1 chega a até quatro horas em clínica particular

Surto antecipado do vírus provocou grande aumento na procura por vacina, muitas vezes indisponível nas clínicas

Surto do vírus levou o Ministério da Saúde a antecipar o início da campanha nacional de vacinação
Piton/Futura Press - 12.05.15
Surto do vírus levou o Ministério da Saúde a antecipar o início da campanha nacional de vacinação
O surto antecipado do H1N1 provocou um grande aumento na procura pela vacina que protege contra a doença. Devido à falta do produto e pelo enorme volume de pessoas que têm buscado se imunizar, pacientes enfrentam até quatro horas para serem vacinados em clínicas particulares da capital paulista. Isso quando encontram o produto.
Grávida de sete meses, Thayana de Almeida teve uma infeliz surpresa ao buscar a clínica de vacinação Cedipi, no Jardim Paulista, zona oeste de São Paulo, na manhã de terça-feira (29). Ela chegou ao local antes das 8h, horário de abertura da unidade, e encontrou a entrada e o salão já tomados por crianças, idosos e gestantes. “Peguei a senha 624, prioritária, porque estou grávida. Começava na 500, ou seja, havia mais de 120 pessoas na minha frente”, afirma.
A gestante aguardou por quatro horas e acabou tendo de tomar outro tipo de vacina, pois a que procurava, a quadrivalente, não estava disponível. De acordo com relatos no local, houve um boom na procura a partir de quinta-feira passada (24). “Todo mundo com quem conversei lá conhecia alguém que pegou H1N1, um parente que teve, um pai da escola do filho”, conta a gestante.
Em sua página na internet, a Cedipi diz que está sem as vacinas da influenza para adultos e crianças e informa que as linhas telefônicas estão congestionadas em razão da alta procura pelas vacinas trivalente e quadrivalente. O iG tentou entrar em contato com a clínica, sem sucesso.
Clínicas de vacinação não têm conseguido suprir a demanda do público pela vacina contra o H1N1
Thayana de Almeida/Arquivo Pessoal - 29.03.16
Clínicas de vacinação não têm conseguido suprir a demanda do público pela vacina contra o H1N1
Na rede Delboni Auriemo, a campanha de vacinação foi antecipada em duas semanas e a previsão é que a vacina quadrivalente chegue às suas unidades nos próximos dias. No Hospital Sírio Libanês, na região central da capital paulista, a vacina contra o H1N1 só estará disponível em abril, sem previsão de data. No Hospital Albert Einstein, no Morumbi, zona oeste de São Paulo, a vacina contra a gripe atualmente está indisponível.
Se as clínicas e hospitais tiveram de se reorganizar para atender a demanda, o surto não teve o mesmo efeito nos laboratórios que produzem a vacina. O Instituto Butantan, que, em parceria com o Ministério da Saúde, distribui as vacinas trivalentes para a rede pública, informou que trabalha em acordo com as decisões do Ministério e seguiu a alteração no calendário. Por meio da assessoria de imprensa, a GSK, que comercializa a vacina quadrivalente no setor privado, informa que tem a vacina disponível desde o dia 23 de março e que não há falta do produto.
A campanha de vacinação contra a gripe na rede pública começa oficialmente em 30 de abril, mas o Ministério da Saúde anunciou, nesta terça-feira (29), que Estados interessados poderão começar a imunização antes do início de seu lançamento. O governador Geraldo Alckmin anunciou nesta terça-feira que a vacinação será antecipada para cerca de 3,5 milhões de pessoas no Estado de São Paulo. As doses começam a ser distribuídas no início da próxima semana. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário