Web Radio Jesus Cristo Gospel: Oposição vai pedir à PGR prisão imediata de Mercadante

quarta-feira, 16 de março de 2016

Oposição vai pedir à PGR prisão imediata de Mercadante

Deputados de oposição estão preparando uma representação a ser encaminhada ainda nesta terça-feira à Procuradoria-Geral da República (PGR) pedindo a imediata prisão do ministro da Educação, Aloizio Mercadante. A iniciativa parte da revelação, feita por VEJA, de que o ministro e braço-direito da presidente Dilma Rousseff tentou obstruir as investigações da Operação Lava Jato e comprar o silêncio do senador Delcídio do Amaral, responsável por revelações explosivas para o governo em seu acordo de delação premiada.
O documento está sendo preparado pelo PPS e deve contar com o apoio de demais legendas oposicionistas ao governo Dilma. Na ação, deve ser usada como argumento para a prisão do ministro a mesma motivação que levou Delcídio do Amaral à prisão: tentativa de impedir o avanço das investigações do escândalo de corrupção da Petrobras. Em gravação, o então líder do governo foi flagrado tentando evitar que o ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró, firmasse acordo de delação premiada.
Assim como Delcídio, as negociações articuladas pelo ministro da Educação foram gravadas. "O ministro Mercadante comete o mesmo crime ao ser apanhado em conversa gravada tentando obstruir a Justiça e tentando dizer que estava ali para oferecer vantagens para que se calasse a delação premiada. Não há outra saída a não ser a sua prisão", afirma o líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR).
"O governo, desesperado e acuado, tenta de todas as formas blindar esta ou aquela figura, tenta obstruir a Justiça, apagar documentos e rastros do que aconteceu ao longo desses anos com desvios de bilhões de reais. Por outro lado, estamos vendo pessoas morrendo nos corredores de hospitais, escolas abandonadas, surtos de zika vírus e dengue, e não há uma ação de governo", continuou Bueno.
Questionado sobre a possibilidade de ser alvo de representação, Mercadante minimizou a ação dos oposicionistas e afirmou que é papel da PGR pedir investigação sobre ele. "Estou inteiramente à disposição para esclarecer o que me foi solicitado", disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário