Web Radio Jesus Cristo Gospel: Mercado melhora previsão de PIB para 1% em 2017

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Mercado melhora previsão de PIB para 1% em 2017

Previsões do Banco Central confirmam aumento de expectativas pelo crescimento econômico, impulsionado pela confiança do mercado nas medidas anunciadas pelo governo em exercício
Com recuperação da economia, setores importantes, como o da construção civil, devem gerar mais postos de trabalho
Com recuperação da economia, setores importantes, como o da construção civil, devem gerar mais postos de trabalho
Com as propostas feitas pelo governo em exercício para organizar a economia ganhando corpo, as expectativas para o Produto Interno Bruto (PIB) entraram em rota de recuperação. Dados coletados pelo Banco Central mostram números melhores para 2016 e 2017.
Para o próximo ano, as expectativas dos analistas no Boletim Focus, uma publicação semanal que reúne projeções de 100 analistas, não param de registrar avanço. Em 15 de abril, essas previsões chegaram a mostrar um PIB de 0,20%. Agora, quase dois meses depois, registram 1% de alta.
No caso de 2016, as expectativas chegaram a beirar uma queda de 4% no PIB, mas o tamanho desse recuo começou a arrefecer e, agora, a projeção é de 3,60% de queda.
Esses números reforçam a visão do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que afirmou na segunda-feira (13) que a recessão encontrada pelo novo governo pode ser a maior da história brasileira.
Propostas
Apesar da avaliação dele, as propostas de reorganização da economia encabeçadas pelo presidente em exercício, Michel Temer, e pelo próprio Meirelles, começam a mudar a forma como os analistas avaliam a economia do País.
Os dados mostram ainda que a chegada do governo em exercício ao Palácio do Planalto foi um ponto de virada para as expectativas. Essa tendência de recuperação pode ainda se acentuar nas próximas semanas, conforme as propostas se transformem em medidas de fato.
Para 2018, as projeções para o PIB também avançam. Em abril elas mostravam que o País cresceria 1,5%. Nessa última semana, a expectativa avançou em 0,50 ponto porcentual, para um crescimento de 2%.
Fonte: Portal Brasil, com informações do Banco Central.

Nenhum comentário:

Postar um comentário